Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



The Twilight Sad – Nobody Wants To Be Here And Nobody Wants To Leave

Quarta-feira, 29.10.14

Os The Twilight Sad são uma banda de indie rock de Kilsyth, na Escócia, com onze anos de carreira e já lançaram três discos: Fourteen Autumns & Fifteen Winters (2007), Forget the Night Ahead (2009) e No One Can Ever Know (2012), trabalhos onde o post rock, com uma elevada toada punk e shoegaze esteve sempre presente, assim como o chamado krautrock que foi fazendo escola no universo sonoro alternativo desde a década de setenta. Nobody Wants To Be Here And Nobody Wants To Leave é o quarto disco desta banda escocesa, um trabalho lançado esta semana pela Fat Cat Records.

Sustentados pela doce melancolia e donos de um som épico e eloquente, mas que exige dedicação, os The Twilight Sad regressam aos discos com um trabalho que vive da mistura de indie pop e indie rock com o punk e o post rock, em canções que muitas vezes crescem em emoção, arrojo e amplitude sonora, sempre de forma progressiva, algo que os arranjos e o edifício melódico de temas tão díspares como There's A Girl In The Corner ou I Could Give You All That You Don’t Want, entre outros, claramente comprovam.

There's A Girl In The Corner é, aliás, um dos grandes momentos deste álbum, um tema que encanta pelos belíssimos arranjos e que coloca de imediato a nú a zona de conforto sonora estabelecida e pregada pelos The Twilight Sad e que reside num universo algo sombrio e fortemente entalhado numa forte teia emocional amargurada, na qual se enredaram, lirica e sonoramente. Por isso, se ficarem logo convencidos com esta entrada, mais inquietos e deslumbrados se irão sentir com a dupla Last JanuaryI Could Give You All That You Don’t Want, duas canções com um ritmo difrente, mais expansivo, impulsivo e fenético e que clamam por um óbvio sentido de urgência que nos deixa no final nos limites da nossa caapcidade de sofreguidão. A partir daqui, estou certo que não se irão arrepender de conferir o restante alinhamento porque irão encontrar mais boas letras e belíssimos arranjos, assentes num baixo vibrante adornado por uma guitarra jovial e pulsante e com alguns efeitos e detalhes típicos do rock alternativo e do punk dos anos oitenta.

Com a voz de Alexander Graham a soar a uma aproximação perfeita ao universo indie encorporado no registo grave dos nova iorquinos Matt Berninger ou Paul Banks, Nobody Wants To Be Here And Nobody Wants To Leave carimba o instante de maturidade plena da carreira em que este coletivo vive, que parece caminhar confortavelmente por cenários que descrevem dores pessoais e escombros sociais, com uma toada simultaneamente épica e aberta, fazendo-o demonstrarando a capacidade eclética de compôr, em simultâneo, temas com um elevado teor introspetivo (It Never Was The Same) e verdadeiros hinos de estádio (Last January).

Se para os mais distraídos, o alinhamento de Nobody Wants To Be Here And Nobody Wants To Leave pode ser do que mais depressivo e angustiante ouviram nos últimos tempos, este é um disco que eu penso valer a pena ser dissecado tomando como ponto de partida outra perspetiva, mais positiva. Os The Twilight Sad quiseram ter aqui muito presente a temática do amor nas suas diferentes vertentes, mas de modo a apelar à tomada de consciência de que a existência humana não deve apenas esforçar-se por ampliar intimamente o lado negro, até porque ele será sempre uma realidade. Há aqui canções como Drown So I Can Watch ou Pills I Swallow e Sometimes I Wished I Could Fall Asleep que não deixam margem para dúvidas sobre o cariz tumultuoso das mesmas, mas poderão também servir como gritos de alerta para que nos foquemos sempre, mesmo nesses instantes, no que de melhor nos sucede, para depois se explorar devidamente e até à exaustão o usufruto das benesses com que o destino nos brinda, mesmo que as relações interpessoais nem sempre aconteçam como nos argumentos dos filmes.

O que não poderá deixar dúvidas a ninguém é que este é um compêndio de rock alternativo muito bem produzido, sem lacunas, com elevada coerência e sequencialidade, mas é sobretudo um exercício de audição individual das canções. Com ele os The Twilight Sad firmam a sua posição na classe dos artistas que basicamente só melhoram com o tempo. Espero que aprecies a sugestão...

The Twilight Sad - Nobody Wants To Be Here And Nobody Wants To Leave

01. There’s A Girl In The Corner
02. Last January
03. I Could Give You All That You Don’t Want
04. It Never Was The Same
05. Drown So I Can Watch
06. In Nowheres
07. Nobody Wants To Be Here And Nobody Wants To Leave
08. Pills I Swallow
09. Leave The House
10. Sometimes I Wished I Could Fall Asleep

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por stipe07 às 21:41






mais sobre mim

foto do autor


Parceria - Portal FB Headliner

HeadLiner

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Man On The Moon · Man On The Moon - Programa 579


Disco da semana 180#


Em escuta...


pesquisar

Pesquisar no Blog  

links

as minhas bandas

My Town

eu...

Outros Planetas...

Isto interessa-me...

Rádio

Na Escola

Free MP3 Downloads

Cinema

Editoras

Records Stream


calendário

Outubro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.