Terça-feira, 29 de Maio de 2018

Deerhunter – Double Dream Of Spring

Após quase década e meia de excelentes registos discográficos que consolidaram uma das carreiras mais bem sucedidas e profícuas do indie rock experimental contemporâneo, os Deerhunter de Bradford Cox acabam de anunciar a edição de The Double Dream of Spring, um registo em formato cassete, limitado a trezentas cópias, com dez temas no alinhamento. Esta edição física irá com a banda na sua próxima digressão, a ter início nos próximos dias, com dois concertos em Nova Iorque e que virá depois até à Europa, com passagem por Inglaterra, França e Alemanha. As dez canções de Double Dream Of Spring foram gravadas em Atlanta, na casa de Bradford Cox e, de acordo com um press release do grupo, antecipam também a gravação e posterior edição de um novo álbum de originais, que deverá ver a luz do dia ainda este ano e que será produzido por Cate Le Bon.

Resultado de imagem para Deerhunter – Double Dream Of Spring

Mestres de um estilo sonoro bastante sui generis e que mistura alguns dos arquétipos fundamentais do indie rock, sempre com uma componente pop que entronca numa acessibilidade melódica que nem sempre está na linha da frente das bandas que se movimentam neste espetro sonoro mais underground, os Deerhunter oferecem-nos em Double Dream Of Spring um conjunto de experimentações sónicas que, não renegando, em alguns instantes, aquela toada lo fi, crua e pujante, feita também de quebras e mudanças de ritmos e momentos de pura distorção, também tenta, dentro de um salutar experimentalismo, adocicar os nossos ouvidos com melodias que misturem acessibilidade, diversidade e intrincado bom gosto, sempre com enorme eficácia. Mostra-o logo o instrumental Dial’s Metal Patterns, tema que parecendo ter sido criado num momento de puro improviso, vai recebendo cordas e sopros de um modo aparentemente anárquico, o que resulta, no seu todo, numa composição que, apesar dos seus quase doze minutos, mais do que agregar diversos fragmentos, é um corpo uno e de indisfarçável leveza e beleza sonora.

A partir desse mote inicial, Double Dream Of Spring prossegue a sua senda encantatória, sempre com essa toada experimental e algo progressiva e além da base instrumental típica dos Deerhunter, temos composições repletas de arranjos fornecidos por sons do quotidiano, como é o caso de Strang's Glacier, outras em que o sintetizador é o elemento chave, nomeadamente The Primitive Baptists, ou instantes, como em Denim Opera, em que o rugoso e a crueza mais lo fi mas que nunca incomoda vem à tona. Em Lilacs In Motor Oil, por exemplo, identifica-se um xilofone, mas tudo o resto é um absoluto emaranhado que nos submerge e nos leva ao alheamento de tudo aquilo que nos pode afetar em nosso redor e quer a mágica melancolia que trespassa o xilofone e a bateria de Faulkner's Dance, quer o sintetizador irrepreensível e um efeito de guitarra que parece planar na cativante How German Is It?, solidificam o ambiente geral de um alinhamento que apela, segundo após segundo, ao que de melhor conseguem captar todos os nossos sentidos.

Double Dream Of Spring acaba por fazer, de modo inesperado e bastante subtil, uma espécie de súmula de toda a sensibilidade pop que foi balizando a evolução da carreira dos Deerhunter e que em alguns momentos foi atingida com um forte cariz épico e monumental, mas que também abrigou os seus alicerces fundamentais em instantes mais introspetivos e etéreos. Fazer uma pausa na gravação de temas com formato mais acessível acaba por ser uma consequência óbvia para um grupo que vive no pico da sua produção criativa e que exigindo e conseguido navegar sem parcimónia em diferentes campos de exploração, acaba por sentir necessidade de criar algo onde reine a imprevisibilidade, faceta que é, afinal, bastante valiosa no mundo artístico e que Bradford Cox, uma dos personagens mais excêntricas no mundo da música de hoje, tanto valoriza. Double Dream Of Spring é a materialização desse instintiva necessidade. Espero que aprecies a sugestão...

Deerhunter - Double Dream Of Spring

01. Clorox Creek Chorus
02. Dial’s Metal Patterns
03.
04. Strang’s Glacier
05. The Primitive Baptists
06. Denim Opera
07. Lilacs In Motor Oil
08. Faulkner’s Dance
09. How German Is It?
10. Serenity 1919 (Ives)


autor stipe07 às 20:39
link do post | The Best Of... Man On The Moon...
Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


eu...


more about...

Follow me...

. 51 seguidores

Powered by...

stipe07

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parceria - Portal FB Headliner

Facebook

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Em escuta...

Twitter

Twitter

Blogs Portugal

Disco da semana

Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
19

20
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Foals - Everything Not Sa...

Perfume Genius – Pop Song

Miniature Tigers - Vampir...

Vetiver – Wanted, Never A...

Men On The Couch - Senso ...

Panda Bear – Playing The ...

The Dodos – The Atlantic

Allah-Las - Lahs

Storm The Palace - Delici...

Men On The Couch - Areia

The New Pornographers - I...

Taïs Reganelli - Vem (Alé...

DIIV - Deceiver

Kurt Vile – Baby’s Arms (...

Colony House – Looking Fo...

The Monochrome Set - Fabu...

Efterklang – Altid Sammen

Foreign Poetry - Freeform

Temples - Hot Motion

The High Dials – Primitiv...

Wildlife – No Control

Gruff Rhys – Pang!

Y La Bamba – Entre Los Do...

Allah-Las – Prazer Em Te ...

Lucy Dacus – Dancing In T...

X-Files

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

todas as tags

take a look...

I Love...

Os melhores discos de 201...

Astronauts - Civil Engine...

SAPO Blogs

subscrever feeds