Quinta-feira, 17 de Maio de 2018

Arctic Monkeys – Tranquility Base Hotel And Casino

Tranquility Base Hotel & Casino é o sexto álbum na carreira dos britânicos Arctic Monkeys de Sheffield, liderados por Alex Turner, ao qual se juntam Matt Helders, Jamie Cook e Nick O'Malley. Produzido por James Ford e pelo próprio Alex Turner, Tranquility Base Hotel And Casino viu a luz do dia a onze de maio último, via Domino Records e sucede ao já longínquo AM, lançado em 2013, contendo onze canções liricamente bastante enigmáticas e recheadas de referências retro e do nosso imaginário cinematográfico e críticas à modernidade, sendo bons exemplos desse modus operandi Star Treatment, canção com referências diretas ao icónico romance Blade Runner de Phillip K Dick e American Sports, tema que fala de uma base lunar onde os humanos habitam e olham de longe para o nosso planeta.

Resultado de imagem para Tranquility Base Hotel And Casino

Apesar dos riffs de Golden Trucks poderem ter feito parte do alinhamento de AM, ou da voz de Alex Turner manter o timbre habitual ao longo do alinhamento, ainda que com menos sotaque, Tranquility Base Hotel And Casino é, claramente, um disco de viragem, um dobrar de esquina consistente e apurado feito por um grupo que habituou os seus fâs a um rock incisivo e esfuziante, repleto de guitarras distorcidas e riffs vigorosos e que agora optou, num claro sinal de maturidade e de pujança criativa, por compôr composições com outro apuro melódico e conduzidas por uma maior diversidade instrumental, com o modo como as teclas também se tornaram protagonistas, a ser uma das principais nuances deste conceito. Aliás, grande parte do esqueleto dos temas foi criado ao piano por Turner, uma particularidade que faz com que este pareça ser o disco menos democrático dos Arctic Monkeys. Mas esta é uma afirmação que faço não em jeito de crítica, mas de elogio, porque se percebe que os restantes elementos estiveram sintonizados com o líder, nomeadamente pelo modo harmonioso e simbiótico como incorporaram os seus instrumentos nas melodias.

Assim, para quem está familiarizado com a discografia dos Arctic MonkeysTranquility Base Hotel And Casino é um disco inicialmente estranho e pouco familiar, mas que após repetidas e dedicadas audições se entranha, com a sua intensidade, feita de sobreposições densas e intrincadas de arranjos e efeitos, a não poder ser medida pelo modo como os decibéis das guitarras são debitados, mas antes pela emoção e pelo teor filosófico do registo. É um universo inédito de sons e referências que pulam entre a soul enevoada de Science Fiction, a pop sessentista que exala subtilmente do clima clássico de One Point Perspective e da psicadelia de The World’s First Ever Monster Truck Front Flip, o rock lisérgico da década seguinte revisto em American Sports e no tema homónimo e até o próprio jazz mais intemporal, homenageado com um charme algo invulgar na já referida Star Treatment, canção que nos remete sem despudor para o cardápio de um Serge Gainsbourg, ou em The Ultracheese, composição envolta por uma arrepiante aurea de mistério e sedução.

Os Arctic Monkeys têm sabido estar sintonizados com o absurdo sociológico e político dos nossos tempos, numa carreira de assinalável coerência e bastante marcada por momentos de exaltação e de vigor que nunca descuraram uma profunda reflexão sobre aquilo que os rodeia e agora, neste Tranquility Base Hotel And Casino, fazem-no novamente, mas de modo ainda mais incisivo e irónico e abrigados por um novo e vasto manancial de referências que, piscando o olho a latitudes sonoras mais consentâneas com as tendências atuais do espetro sonoro em que se movimentam, enriquecem tremendamente o cardápio sonoro do quarteto e elevam-no a um novo estatuto, como banda fundamental do indie rock alternativo contemporâneo. Espero que aprecies a sugestão...

Arctic Monkeys - Tranquility Base Hotel And Casino

01. Star Treatment
02. One Point Perspective
03. American Sports
04. Tranquility Base Hotel And Casino
05. Golden Trunks
06. Four Out Of Five
07. The World’s First Ever Monster Truck Front Flip
08. Science Fiction
09. She Looks Like Fun
10. Batphone
11. The Ultracheese


autor stipe07 às 13:15
link do post | The Best Of... Man On The Moon...
Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


eu...


more about...

Follow me...

. 51 seguidores

Powered by...

stipe07

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parceria - Portal FB Headliner

Facebook

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Em escuta...

Twitter

Twitter

Blogs Portugal

Disco da semana

Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
19

20
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Foals - Everything Not Sa...

Perfume Genius – Pop Song

Miniature Tigers - Vampir...

Vetiver – Wanted, Never A...

Men On The Couch - Senso ...

Panda Bear – Playing The ...

The Dodos – The Atlantic

Allah-Las - Lahs

Storm The Palace - Delici...

Men On The Couch - Areia

The New Pornographers - I...

Taïs Reganelli - Vem (Alé...

DIIV - Deceiver

Kurt Vile – Baby’s Arms (...

Colony House – Looking Fo...

The Monochrome Set - Fabu...

Efterklang – Altid Sammen

Foreign Poetry - Freeform

Temples - Hot Motion

The High Dials – Primitiv...

Wildlife – No Control

Gruff Rhys – Pang!

Y La Bamba – Entre Los Do...

Allah-Las – Prazer Em Te ...

Lucy Dacus – Dancing In T...

X-Files

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

todas as tags

take a look...

I Love...

Os melhores discos de 201...

Astronauts - Civil Engine...

SAPO Blogs

subscrever feeds