Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Milagre (&) de Natal...

Terça-feira, 24.11.09

Poster de «O Milagre em Sant'Anna»

Depois de The Inglorious Basterds de Quentin Tarantino, surge no final deste ano mais um filme que aborda uma das minhas temáticas histórias predilectas, a II Guerra Mundial e que se desenrola num dos cenários europeus que mais me atrai e que faz parte das minhas prioridades futuras de viagens, a Itália mediterrânica.

Realizado por Spike Lee, o Milagre em Sant'Anna é um épico que decorre no conflito acima referido, já depois da Itália ter abandonado o Eixo e este belo país ter-se tornado num dos campos de batalha mais mortíferos do conflito, por ser uma porta privilegiada de acesso à Alemanha de Hitler.

O filme, com um enredo bem mais sério, dramático e realista que a obra de Tarantino, narra a história de quatro soldados afro-americanos pertencentes à Companhia Buffalo Soldiers *, estacionada na zona da Toscânia. Eles experimentam a tragédia e o triunfo da guerra durante o avanço dos Aliados em direcção a Roma, no ano de 1944, depois do desembarque em Anzio e durante a batalha pela ocupação do Mosteiro nos Montes Casino. Numa missão estes soldados ficam encurralados atrás das linhas inimigas e separados da restante unidade, porque um deles arriscou a própria vida para salvar um menino italiano de um massacre.

Assim, a história é inspirada no massacre de Sant’Anna di Stazzema, ocorrido em Agosto desse ano, um dos episódios mais macabros do conflito,  planeado e executado pelas Waffen SS, a policia politica nazi, em retaliação pelas actividades da resistência italiana, bastante activa após a deposição de Mussolini. Pelo que já percebi, uma cabeça esculpida da Ponte Santa Trinita, da cidade de Florença, acaba por ser também preponderante para o enredo do filme.

Spike Lee, ícone do cinema afro-americano,  sempre abordou a temática racial nos seus filmes, tal como comprovam Do The Right Thing (1989), Jungle Fever (1990) e o mais conhecido Malcom X (1992). Também foi sempre um crítico dos filmes de guerra de Hollywood por raramente mostrarem soldados afro-americanos. Ainda recentemente esteve envolvido numa forte polémica com Clint Eastwood porque em As Bandeiras dos Nossos Pais As Cartas de Iwo Jima, Eastwood não usou um único personagem afro-americano.

Há quem veja em  O Milagre em Sant'Anna um forte concorrente aos Óscares.

Fica o trailer...

* (Os Buffalo Soldiers são uma Companhia do 25º Exército Americano. Esta Companhia encontra as suas raízes na guerra civil americana, no Exército da União; desde aí é constituída exclusivamente por recrutas afro-americanos).

 

 

 

Robert Zemeckis e a Disney recriaram o conhecido clássico de Charles Dickens, Um Conto de Natal, numa versão animada em 3D. Desta vez é Jim Carrey quem encarna a voz do avarento Ebenezer Scrooge que, como todos sabemos, entra na noite de natal em solidão e com o seu habitual mau humor, gritando com maus modos ao seu fiel empregado (Gary Oldman) e ao seu alegre e carinhoso sobrinho (Colin Firth). Mas quando os fantasmas do Natal Passado, Presente e Futuro o levam numa viagem reveladora de muitas verdades, Scrooge vai ter de abrir o seu coração e emendar alguns erros antes que seja tarde demais…

 Fica o trailer...

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por stipe07 às 22:10


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.






mais sobre mim

foto do autor


Parceria - Portal FB Headliner

HeadLiner

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Man On The Moon · Man On The Moon -Programa 422


Disco da semana 117#


Em escuta...


pesquisar

Pesquisar no Blog  

links

as minhas bandas

My Town

eu...

Outros Planetas...

Isto interessa-me...

Rádio

Na Escola

Free MP3 Downloads

Cinema

Editoras

Records Stream


calendário

Novembro 2009

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.