Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Estreia do Dia - Distrito 9

Quinta-feira, 24.09.09

 

Já ouvi falar deste filme há alguns meses e aguardava com expectativa e curiosidade a sua estreia. A história conta-se em poucas palavras...

 

Há vinte anos atrás, uma nave extraterrestre apareceu sobre a África do Sul. Os Humanos esperavam um ataque hostil mas, em vez disso, encontraram um grupo de não-humanos refugiados, possivelmente os últimos sobreviventes da sua espécie. Enquanto as Nações de todo o Mundo discutiam sobre o que fazer com eles, as criaturas foram relegados para um gueto - Distrito 9. A Multi-National United (MNU), uma empresa de segurança privada, e também a maior fabricante de armas do Mundo foi contratada para supervisionar os visitantes. O clima de tensão entre os aliens e os humanos surge quando um agente de campo da MNU, Wikus van der Merwe, contrai um vírus misterioso que começa a converter o seu próprio DNA. Wikus rapidamente se torna o homem mais procurado em todo o Mundo, porque é a chave para desvendar os segredos da tecnologia não-humana. Sem ajuda de ninguém, há apenas um lugar onde ele se pode esconder , Distrito 9.

 

Apesar desta história aparentemente simples e banal, Distrito 9 é, na minha opinião, muito mais que uma simples história ficcionada; É um filme carregado de simbolismo. O realizador, Neill Blomkamp, de 29 anos, é sul-africano, escolhe  o seu país como cenário e transporta a realidade do seu país para o  filme. Existe racismo por parte dos humanos em relação a esta raça alienígena, que é deportada para um gueto. E todos nós sabemos que o passado deste país africano, poderia ser descrito quase da mesma forma que é este filme; os negros seriam a raça alienígena, os brancos os humanos, os subúrbios do Cabo, Joanesburgo, Pretória os referidos guetos e apartheid o enredo e fio condutor da história.

Assim, a ignorância e o medo provocados pelo racismo são apresentados numa história ambientada na miséria do terceiro mundo, onde vão parar estes extraterrestres, recebidos com medo e desconfiança pela raça humana.

Neste filme há pois muitas semelhanças com o apartheid e muitas analogias ao governo opressor branco e à opressão da maioria negra, dessa época.

Tive muito cuidado para não fazer algo que soasse muito político e que o público achasse desgastante, afirma o realizador. Quis captar a essência da África do Sul e a essência da segregação e do racismo sem disfarces, porque foi nesse ambiente que eu cresci.

Com um orçamento reduzido de 30 milhões de dólares, Blomkamp conseguiu conceber um filme com bons efeitos especiais e um argumento capaz de prender a atenção dos mais desinteressados pela ficção científica. Pelo menos a história e a analogia que é feita parece-me brilhante...

Fica o trailer.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por stipe07 às 15:22


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.






mais sobre mim

foto do autor


Parceria - Portal FB Headliner

HeadLiner

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Man On The Moon · Man On The Moon - Programa 425


Disco da semana 118#


Em escuta...


pesquisar

Pesquisar no Blog  

links

as minhas bandas

My Town

eu...

Outros Planetas...

Isto interessa-me...

Rádio

Na Escola

Free MP3 Downloads

Cinema

Editoras

Records Stream


calendário

Setembro 2009

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.