Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Estreia do Dia - Distrito 9

Quinta-feira, 24.09.09

 

Já ouvi falar deste filme há alguns meses e aguardava com expectativa e curiosidade a sua estreia. A história conta-se em poucas palavras...

 

Há vinte anos atrás, uma nave extraterrestre apareceu sobre a África do Sul. Os Humanos esperavam um ataque hostil mas, em vez disso, encontraram um grupo de não-humanos refugiados, possivelmente os últimos sobreviventes da sua espécie. Enquanto as Nações de todo o Mundo discutiam sobre o que fazer com eles, as criaturas foram relegados para um gueto - Distrito 9. A Multi-National United (MNU), uma empresa de segurança privada, e também a maior fabricante de armas do Mundo foi contratada para supervisionar os visitantes. O clima de tensão entre os aliens e os humanos surge quando um agente de campo da MNU, Wikus van der Merwe, contrai um vírus misterioso que começa a converter o seu próprio DNA. Wikus rapidamente se torna o homem mais procurado em todo o Mundo, porque é a chave para desvendar os segredos da tecnologia não-humana. Sem ajuda de ninguém, há apenas um lugar onde ele se pode esconder , Distrito 9.

 

Apesar desta história aparentemente simples e banal, Distrito 9 é, na minha opinião, muito mais que uma simples história ficcionada; É um filme carregado de simbolismo. O realizador, Neill Blomkamp, de 29 anos, é sul-africano, escolhe  o seu país como cenário e transporta a realidade do seu país para o  filme. Existe racismo por parte dos humanos em relação a esta raça alienígena, que é deportada para um gueto. E todos nós sabemos que o passado deste país africano, poderia ser descrito quase da mesma forma que é este filme; os negros seriam a raça alienígena, os brancos os humanos, os subúrbios do Cabo, Joanesburgo, Pretória os referidos guetos e apartheid o enredo e fio condutor da história.

Assim, a ignorância e o medo provocados pelo racismo são apresentados numa história ambientada na miséria do terceiro mundo, onde vão parar estes extraterrestres, recebidos com medo e desconfiança pela raça humana.

Neste filme há pois muitas semelhanças com o apartheid e muitas analogias ao governo opressor branco e à opressão da maioria negra, dessa época.

Tive muito cuidado para não fazer algo que soasse muito político e que o público achasse desgastante, afirma o realizador. Quis captar a essência da África do Sul e a essência da segregação e do racismo sem disfarces, porque foi nesse ambiente que eu cresci.

Com um orçamento reduzido de 30 milhões de dólares, Blomkamp conseguiu conceber um filme com bons efeitos especiais e um argumento capaz de prender a atenção dos mais desinteressados pela ficção científica. Pelo menos a história e a analogia que é feita parece-me brilhante...

Fica o trailer.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

tags:

publicado por stipe07 às 15:22






mais sobre mim

foto do autor


Parceria - Portal FB Headliner

HeadLiner

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Man On The Moon · Man On The Moon -Programa 422


Disco da semana 117#


Em escuta...


pesquisar

Pesquisar no Blog  

links

as minhas bandas

My Town

eu...

Outros Planetas...

Isto interessa-me...

Rádio

Na Escola

Free MP3 Downloads

Cinema

Editoras

Records Stream


calendário

Setembro 2009

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.