Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Misophone - Before The Waves Roll In

Quinta-feira, 27.06.13

Os britânicos Misophone, uma banda de Bristol e uma das mais citadas neste blogue, formados pelo multi-instrumentista Herbert e por Welsh continuam a surpreender e a revelar um ritmo criativo pouco comum no universo sonoro alternativo, até se tivermos em conta a elevada bitola qualitativa dos seus lançamentos, um total de catorze nos últimos dez anos.

Ainda no apssado dia trinta de maio falámos deles para divulgar que tinham disponibilizado gratuitamente Songs from the Cellar- Lost Songs and other relics, uma curiosa e extraordinária compilação cheia de diversidade sonora, através da etiqueta Another Record e agora já estão novamente de regresso com Before The Waves Roll In, disco editado no passado dia dezanove de junho por intermédio da Kning Disk. Todas as canções do álbum foram escritas por Welsh e Herbert excepto The Fear, um original dos Pulp e Mother’s last word to her son da autoria de Washington Phillips. Também é de salientar o belíssimo artwork do álbum, da autoria do artista Jockum Nordström. Recordo que no início de 2012 o grupo tinha editado Songs From An Attic, o disco que me pôs pela primeira vez em contacto com este projeto.

Before The Waves Roll In, um disco disponível para audição no Spotify e Wimp, é um novo e verdadeiro carnaval sonoro e atesta o quanto os Misophone são expressivos e como é difícil balizá-los num estilo concreto, apesar de terem como referências o  jazz e a folk tradicional inglesa. Entrar no sotão dos Misophone e entendê-lo pressupõe uma enorme predisposição para encarar com o caos e não se ficar chocado por ouvir latidos de cachorros ou um coro de melros e fantasmas a cantarem canções de amor.

O disco começa com I too allow myself to dream, um pequeno instrumental recheado com uma sinfonia de violinos e logo a seguir chega o meu grande destaque do disco, o tema White horses in a yellow sun. O disco segue por aí fora, com uma toada algo nostálgica, com canções cheias de experiências, ecos sinistros que parecem vir de um mundo distante e que evocam histórias fantásticas de um passado que os Misophone gostam de recordar. Todos estes elementos fundem-se numa espécie de folk psicadélica onde está muito presente a música popular do outro lado do atlêntico, não sendo certamente estranho para os Misophone a discografia dos Neutral Milk Hotel, Eels, Lee Perry, Elliott Smith, Smog, Bill Ryder Jones, M. Ward, Johnny Cash e os próprios Beach Boys. Mas além destas referências norte americanas, sempre de salientar numa banda britânica, há um evidente desejo nos Misophone de replicar, principalmente a nível instrumental, alguns dos sons caraterísticos da música tradicional balcânica e da europa de leste. Um doo membros da dupla viveu na Hungria alguns anos, junto  fronteira com a Roménia e ambos passaram algum tempo nessa região e por isso não ficaram imunes à música nativa que aí pesquisaram e ouviram.

A banda voltou a gravar com o seu próprio material e com uma produção lo fi e algo imperfeita, com várias canções em fade out e aparentemente inacabadas. Estes aspectos típicos dos Misophone mantém-se então em Before The Waves Roll In, se bem que neste novo trabalho percebi que há uma maior abertura e luminosidade em termos de arranjos, ou seja, não é um disco tão hermético como outros lançamentos anteriores da dupla e abrange um cardápio mais alargado de influências. Acaba por até ser um álbum que faz uma espécie de súmula de tudo aquilo que os Misophone apresentaram até agora e, como seria de esperar, uma súmula algo misteriosa e cheia de referências literárias.

Com esta fórmula algo caseira e intimista a banda voltou a conseguir captar a magia da criação espontânea, sem grandes regras ou limites, o que permitiu a várias canções fluirem livremente sem terem de se sujeitar demasiado ao controle de várias pessoas e de uma imensa pafernália de equipamento que muitas vezes abafa a génese de algumas canções.

Before The Waves roll In é o trabalho mais expansivo e orquestral dos Misophone e contou com a participação de alguns convidados especiais, nomeadamente a cantora Aubben Renée e o músico Alone With King Kong, que trouxe consigo um trombone que deu uma nova vida e um colorido diferente ao universo dos Misophone. Como seria de esperar, já está prometido um novo trabalho; Irá chamar-se Another Lost Night, terá treze canções e Aubben e Alone With King Kong farão outra vez parte da lista de convidados. Portanto, em breve falaremos novamente dos Misophone. Espero que aprecies a sugestão...

01. I too allow myself to dream
02. White horses in a yellow sun
03. Hide from reality
04. A postcard from the past
05. Old unwelcome guest
06. The fear
07. In search of beauty
08. A mother's last word to her son
09. Backwards up a stream
10. In search of beauty (reprise)
11. There's nothing wrong with love
12. The waiting game
13. The year the curtains froze
14. Never forget
15. Sleep soundly in the setting sun 
16. Don't make room for the devil
17. Mountain low
18. The guillotine walls
19. The last bastion
20. Before the waves roll in  

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por stipe07 às 13:25






mais sobre mim

foto do autor


Parceria - Portal FB Headliner

HeadLiner

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Man On The Moon · Man On The Moon -Programa 422


Disco da semana 117#


Em escuta...


pesquisar

Pesquisar no Blog  

links

as minhas bandas

My Town

eu...

Outros Planetas...

Isto interessa-me...

Rádio

Na Escola

Free MP3 Downloads

Cinema

Editoras

Records Stream


calendário

Junho 2013

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.