Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Snow Patrol - Fallen Empires

Terça-feira, 22.11.11

Não é segredo nenhum para ninguém que os irlandeses Snow Patrol são uma das minhas bandas prediletas, sendo sempre aguardado por mim com enorme e redobrada expetativa cada novo disco deles. E este Fallen Empires naturalmente não foi exceção! Lançado no mercado no passado dia catorze de novembro, é o sexto trabalho de estúdio desta banda formada em 1994 na cidade escocesa de Dundee e depois de o ouvir senti uma estranha sensação de desilusão, algo inédito no que concerne a esta banda. É verdade que coloco sempre a fasquia muito elevada em relação a algumas bandas e talvez isso também tenha contribuido para esta sensação de enorme deceção em relação a um disco que me soou enfadonho, sonolento e distante de qualquer possível acerto.

Nos primeiros discos dos Snow Patrol sempre foram audíveis canções desenvolvidas com afinco e assentes num jogo de versos cuidadoso, sincero e trabalhado de forma muitas vezes espetacular. Havia força nas canções! De há cinco anos para cá, com a chegada de Eyes Open, o grupo optou por uma fórmula um pouco repetitiva, com um extenso catálogo de sons convencionais e característicos e que agora, neste Fallen Empires, ocultaram definitivamente a beleza explorada pelo grupo nos anos iniciais. Parece efinitivamente outra banda e não aquela pela qual me apaixonei com Final Straw.

Provavelmente, para alguns fãs que não acompanham a carreira dos Snow Patrol com grande devoção, boa parte destas novas catorze canções poderão parecer curiosamente inéditas e encantadoramente renovadas. Contudo, basta um mínimo esforço para perceber que grande parte do trabalho serve apenas para confirmar que a banda de Gary Lightbody parece muito mais interessada em viver dos louros do passado do que proporcionar algo novo em si.

Tal como no anterior A Hundred Million Suns de 2008, este Fallen Empires é feito daquelas canções melódicas que desde o já citado Eyes Open ditam o rumo sonoro do grupo, feito com pianos melancolicamente projetados, guitarras carregadas de efeitos, a voz encaixada de forma a soar épica e a bateria com um leve eco. Seguindo também essa mesma fórmula do princípio ao fim neste Fallen Empires, a banda consegue arrancar-me apenas alguns sorrisos em New York, This Isn’t Everything You Are Berlin e principalmente Lifening, canções que vão continuar a manter acesa a chama da devoção e do respeito que nutro por esta banda fantástica e tão marcante para mim.

Desejo muito que este Fallen Empires tenha sido apenas um breve tiro ao lado e que represente o epílogo do rumo traçado nos últimos três álbuns da banda. Desejo muito que o próximo disco deles represente uma rutura definitiva com esta sonoridade e um regresso às origens ou, melhor ainda, um verdadeiro salto em frente, porque ainda acredito que os Snow Patrol, além de conseguirem fazer muito melhor, ainda estarão por cá bastante tempo para o poderem demonstrar. Espero que aprecies a sugestão... 

01. I’ll Never Let Go
02. Called Out In The Dark
03. The Weight of Love
04. This Isn’t Everything You Are
05. The Garden Rules
06. Fallen Empires
07. Berlin
08. Lifening
09. New York
10. In The End
11. Those Distant Bells
12. The Symphony
13. The President

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por stipe07 às 19:00


1 comentário

De pSalaberth a 23.11.2011 às 12:45

Oi Johnny,

N é nenhum segredo q para mim os Snow Patrol sempre foram "enfadonhos e sonolentos" (em cheio Johnny).

Um grande abraço e... Better Luck Next Time!!

Comentar post






mais sobre mim

foto do autor


Parceria - Portal FB Headliner

HeadLiner

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Man On The Moon · Man On The Moon - Programa 388#


Disco da semana 90#


Em escuta...


pesquisar

Pesquisar no Blog  

links

as minhas bandas

My Town

eu...

Outros Planetas...

Isto interessa-me...

Rádio

Na Escola

Free MP3 Downloads

Cinema

Editoras

Records Stream


calendário

Novembro 2011

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.