Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Joel Gion – Apple Bonkers

Quarta-feira, 08.10.14

Joel Gion, conhecido por ser o homem da percurssão e do tamborim nos Brian Jonestown Massacre, acaba de iniciar uma carreira discográfica em nome próprio com Apple Bonkers, uma coleção de dez canções que viu a luz do dia a dezoito de agosto. A propósito do desejo de se estrear numa carreira a solo e numa fase de relativo pousio dos Brian Jonestown Massacre, Joel revela na sua página oficial:

With all the BJM members now living  so spread out across the world, I found myself increasingly missing the album making process. This feeling of disconnect is what kick started me into exploring my own song writing process and turned out to be a hugely important piece of self discovery. No more time for my beloved laziness. So I made my own music with a with bunch of friends in the studio coming and going and having a great time creating. I think a lot of people are going to be surprised by this album

Como se depreende desta declaração, se, por um lado o processo de idealização e criação de Apple Bonkers foi muito espontâneo e partiu, essencialmente, das saudades que o músico já sentia de estar em estúdio, por outro, também se deve ao desejo de Joel em trabalhar com outros músicos seus amigos, com esta sua estreia a contar com as participações especiais de membros dos Dandy Warhols, dos próprios BJM, dos Dead Skeletons, dos Sprindrift e dos The Warlocks.

Com o single Yes a abrir as hostilidades e a assumir-se como grande destaque de Apple Bunkers, o disco é um mergulho profundo no lado mais lisérgico da mente do seu criador. Em vez das esperadas distorções e de um som algo ríspido, encontramos texturas sonoras que se aproximam do shoegaze, uma marca forte na discografia de bandas como os Tame Impala, assim como os TOY, The Horrors, POND, ou os próprios MGMT, grupos que têm aberto uma espécie de caixa de pandora e onde a estética sonora que reinventaram serve de inspiração para novos projetos, como é o caso de Joel Gion, mas onde também podemos arriscar incluir os norte americanos Moon Duo ou os os Wooden Shjips, além dos conterrâneos Black Market Karma.

Neste caldo psicadélico destacam-se os excelentes arranjos de cordas, sendo bom exemplo disso não só o single já citado, mas também Smile, uma canção que mantém a toada anterior. Já Flowers apela a um travo mais ponderado e luminoso, um tema clássico no que diz respeito à conexão feliz entre o fuzz de uma guitarra e a secção rítmica vitaminada que encorpora o rock psicadélico dos anos sessenta. O mesmo sucede com Dart e Sun Structures, canções onde a intimidade centra-se no baixo e na guitarra, feita e vivida com extremo charme e classe, muito à moda de um estilo alinhado, que dá alma à essência daquele rock muito britânico. Mas também há uma viola completamente desligada da corrente, uma outra forma válida para a criação de ambientes psicadélicos, neste caso em Change My Mind, uma das canções mais calmas e bonitas do disco. Já Mirage, com arranjos e efeitos épicos e uma voz etérea conjugada com uma secção rítmica assertiva, é outra canção de audição obrigatória, assim como Radio Silence, um tema que nos remete para o período aúreo do garage rock ou do pós-punk britânico dos anos oitenta e aquele que talvez melhor indique que a bateria é também uma das importantes mais valias deste trabalho, como não podia deixar de ser em Joel. Aliás, quer Radio Silence, quer depois Two Daisies e Sail On são os temas mais volumosos do cardápio de Apple Bonkers e aqueles que viabilizam a condução de um som mais denso, atmosférico e sujo, podendo, quem sabe, apontar caminhos para, no futuro, Joel demandar em busca de diferentes viagens a vários universos sonoros, tendo talvez amanhã o sintetizador como veículo privilegiado dessa demanda por distintos territórios auditivos. 

Apple Bonkers faz-nos, com grande eficácia, um convite para uma viagem no tempo, do passado ao presente, no disco de estreia de um artista que aposta em melodias contagiantes e que parece ser mais experiente do que o tempo de existência do seu projeto a solo, tal é o grau de maturidade que já demonstra neste trabalho. A experiência dos amigos músicos que aparecem no alinhamento também terá sido importante para a materialização desta evidência. Espero que aprecies a sugestão...

Joel Gion - Apple Bonkers

01. Yes
02. Smile
03. Hairy Flowers
04. Dart
05. Change My Mind
06. Mirage
07. Radio Silence
08. Two Daisies
09. Sail On
10. S Bring You Down

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por stipe07 às 22:24






mais sobre mim

foto do autor


Parceria - Portal FB Headliner

HeadLiner

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Man On The Moon · Man On The Moon - Programa 579


Disco da semana 180#


Em escuta...


pesquisar

Pesquisar no Blog  

links

as minhas bandas

My Town

eu...

Outros Planetas...

Isto interessa-me...

Rádio

Na Escola

Free MP3 Downloads

Cinema

Editoras

Records Stream


calendário

Outubro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.