Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



The Black Keys – Turn Blue

Segunda-feira, 09.06.14

Dois anos e alguns meses depois de El Camino, a dupla The Black Keys de Dan Auerbach e Patrick Carney está de regresso com um novo disco. Turn Blue chegou a treze de maio através da Nonesuch e ao oitavo disco, os The Black Keys consolidam o estouro de popularidade desejada. Para chegar aqui esta dupla contou com a ajuda essencial do mítico produtor Danger Mouse, que já pode  ser considerado um terceiro membro dos The Black Keys e que voltou a produzir mais um trabalho do grupo.

A sonoridade hard rock, do rock setentista, do rock de garagem e do blues mantém-se como a pedra de toque desta dupla que já tem um estatuto forte no universo sonoro alternativo e que após treze anos de parceria parece ter atingido o ponto mais alto de uma carreira com alguns momentos marcantes, mas agora com novas nuances e um som mais experimental e menos planeado para as rádios e os estádios.

Confortáveis com o passado, mas cientes da capacidase que têm de prosseguirem a carreria sem cair na repetição, em Turn Blue os The Black Keys perderam alguma potência, mas ganharam um certo charme e uma nova personalidade, devido a a alguns arranjos inéditos e uma guitarra cada vez mais longe do rock de garagem e mais perto da psicadelia. Quem quiser ouvir o blues rock minimal puro e duro, em discos recheados de potenciais singles só tem que ficar no antecessor e regressar a Brother e aos primeiros trabalhos do grupo, porque a duração do solo de guitarra do funk psicadélico da épica Fever surpreendeu os seguidores mais puristas e não terá sido por acaso que o tema foi escolhido para single de avanço do disco. A própria postura da voz, a linha do baixo e a precisão da bateria não deixam de ter os genes The Black Keys, mas há um ambiente novo em que se dança, mas numa toada mais intíma. Mas antes, logo a abrir, a bússola já aponta noutro sentido quando na expansiva Weight of Love somos surpreendidos com uma batida lenta, detalhes eletrónicos e uma guitarra que persegue uma maior proximidade dos The Black Keys connosco. Isso é algo que se depreende também da sensação de espontaneidade da maioria do alinhamento, como se tivesse sido composto para ser escutado por amigos e não para a massa homónima que uma banda que agrega multidões em seu redor e suscita enorme expetativa sempre que respira, geralmente coleciona no seu cardápio de seguidores.

Momentos como o groove que destila imenso soul de In Time,  ou a acústica vintage que abre Bullet In The Brain e que depois desliza até ao krautrock, são outros dois exemplos que mostram que Auerbach e Carney estão no apogeu do seu estado de maturidade e mais arrojados do que nunca.

Em suma, este disco não é um documento único daqueles que perduram quando se contar a história definitiva do rock, mas é um marco importante numa dupla que parece apostada em calcorrear novos territórios e comprova a entrada em grande estilo dos mesmos na primeira divisão do campeonato indie e alternativo, podendo até figurar em algumas listas dos melhores discos lançados este ano. Turn Blue prova que se o rock estiver em boas mãos tem capacidade que sobra para se renovar e quantas vezes for necessário. Espero que aprecies a sugestão...

The Black Keys - Turn Blue

01. Weight Of Love
02. In Time
03. Turn Blue
04. Fever
05. Year In Review
06. Bullet In The Brain
07. It’s Up To You Now
08. Waiting On Words
09. 10 Lovers
10. In Our Prime
11. Gotta Get Away

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por stipe07 às 16:38

And The Giraffe - Yellow Dog Blues

Segunda-feira, 09.06.14

Naturais de Gainsville, na Flórida, Nick Roberts e Josh Morris são os grandes suportes do projeto And The Giraffe, cuja sonoridade se insere na indie folk e que me faz lembrar bandas como os The Postal Service e Belle & Sebastian. Ao vivo e nas sessões de gravação costumam fazer-se acompanhar por John Gentile e pelo baterista Bryan Tewell.

Enquanto não editam um novo registo de originais criaram uma cover para o clássico Yellow Dog Blues, um original de W.C. Handy. Esta versão foi criada para um evento patrocinado pelo Studio 360, produzida por Joshua Morris e está disponível para download. Confere...

Ever since Miss Susan Johnson lost her Jockey Lee
There has been so much excitement and more to be

You can hear her moanin, moanin night and morn
I wonder where my easy rider’s gone

Cablegrams come of sympathy, telegrams go of inquiry
Letters come from down in ‘Bam and everywhere that Uncle Sam
Is even the ruler of delivery

All day the phone rings, but it’s not for me
At last good tidings fill my heart with glee
This message comes, oh from Tennessee

Dear Sue, your easy rider struck this burg today
On a southbound rattler sidedoor Pullman car
I seen him here and he was on the hog

Easy rider’s gotta stay away
So he had to vamp it, but the hike ain’t far
He’s gone where the Southern cross the Yellow Dog

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por stipe07 às 13:11






mais sobre mim

foto do autor


Parceria - Portal FB Headliner

HeadLiner

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Man On The Moon · Man On The Moon - Programa 423


Disco da semana 117#


Em escuta...


pesquisar

Pesquisar no Blog  

links

as minhas bandas

My Town

eu...

Outros Planetas...

Isto interessa-me...

Rádio

Na Escola

Free MP3 Downloads

Cinema

Editoras

Records Stream


calendário

Junho 2014

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.