Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Chad VanGaalen – Shrink Dust

Terça-feira, 13.05.14

Editado no passado dia vinte e nove de abril, por intermédio da Sub Pop Records, Shrink Dust é o novo trabalho de Chad Van Gaalen, um canadiano natural de Calgary e um músico, autor e compositor de quem já sentia saudades, nomeadamente dos seus devaneios cósmicos. Desaparecido depois de em 2010 ter editado o excelente Diaper Islandandou, pelos vistos, a aprender a usar o pedal steel, além de ter trabalhado na banda desenhada de ficção científica Translated Log Of Inhabitants.

Antes de tecer algum tipo de comentário sobre o conteúdo do alinhamento de Shrink Dust é importante contextualizar o autor desta magnífica obra musical e esclarecer que Chad é, acima de tudo, um artista que domina diferentes vertentes e se expressa em múltiplas linguagens artísticas e culturais, sendo a música mais um dos códigos que ele utliza para expressar o mundo próprio em que habita e dar-lhe a vida e a cor, as formas e os símbolos que ele idealizou. E basta ouvir Shrink Dust para perceber que, realmente, Chad comunica connosco através de um código específico, tal é a complexidade e a criatividade que estão plasmadas nas suas canções, usando como principal ferramenta alguns dos típicos traços identitários de uma espécie de folk psicadélica, com uma considerável vertente experimental associada. Esta matriz sonora mais aventureira começou a ganhar forma no antecessor de Shrink Dust, o tal Diaper Island, já que antes disso, em Infiniheart (2004) e Soft Airplane (2008), apostou numa sonoridade folk eminentemente acústica e orgânica.

Assim, hoje a eletrónica é o terreno onde musicalmente VanGaalen se move com maior conforto e utiliza-a mesmo para reproduzir os sons mais orgânicos que podemos escutar no seu cardápio. Sintetizadores e teclados, são apenas uma pequena parte do arsenal bélico com que ele nos sacode e traduz, na forma de música, a mente criativa que nele vive e que parece, em determinados períodos, ir além daquilo que ele vê, pensa e sente, nomeadamente quando questiona alguns cânones elementares ou verdades insofismáveis do nosso mundo, sendo a criatura mutante que estampa a capa do disco, uma representação feliz das diferentes colagens de experiências assumidas por VanGaalen ao longo da sua carreira e que parece ser alvo de uma espécie de súmula em Shrink Dust

É naturalmente possível fazer uma paralelismo entre o seu trabalho como músico e como ilustrador de banda-desenhada; ambos são indissociáveis e Shrink Dust contém alguns temas que poderão fazer parte da banda sonora da versão animada da obra que ilustrou recentemente. O álbum inicia com uma toada calma, mas Cut Off My Hands coloca já a nú alguns detalhes que justificam o cariz psicadélico e aventureiro que anima Chad, com as guitarras de Where Are You, apresentadas logo a seguir, a reforçar o novo enquadramento da obra, cheia de fragmentos de sons sintetizados e distorcidos, versos hipnóticos e vozes com forte pendor lo fi, carregadas de eco e manipuladas digitalmente. Chad parte em busca de diferentes estímulos, de forma aparentemente arcaíca, mas todos os arranjos e detalhes terão sido certamente ponderados de forma muito cuidada, pois só assim se entende o audível aconchego da profusão de sons e de ruídos e poeiras sonoras, muitas sem sentido de ordem aparente, que se encontram em Shrink Dust. Mesmo em instantes com uma toada folk mais country, minimal e contemplativa, como na já referida Cut Off My Hands e em Lila e Weighted Sin, tudo encaixa devidamente e percebe-se diferentes colagens e sobreposições de sons.

Outra sequência algo inesperada, mas que só atesta a genialidade de Chad, é Leaning On Bells e All Will Combine, duas extraordinárias canções onde o artista pisca o olho ao rock psicadélico, com as guitarras a deixarem-se envolver numa nuvem de distorções leves e acolhedoras, enquanto a lisergia sintetizada em que se acomodam cria paisagens sonoras verdadeiramente alucinogénicas.

Shrink Dust é, portanto, um verdadeiro jogo de texturas e distorções controladas pelos nossos ouvidos. Um passeio pela essência da música psicadélica, idealizado por um inventor de sons que nos canta as subtilezas da mortalidade, mas que até convida às pistas de dança, sem nunca se entregar ao exagero, até porque é explícita a toada experimental que ocupa este compêndio folk de enorme beleza espacial. Espero que aprecies a sugestão...

Chad VanGaalen - Shrink Dust

01. Cut Off My Hands
02. Where Are You?
03. Frozen Paradise
04. Lila
05. Weighed Sin
06. Monster
07. Evil
08. Leaning On Bells
09. All Will Combine
10. Weird Love
11. Hangman’s Son
12. Cosmic Destroyer

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por stipe07 às 21:47

Le Rug - Harold Camping

Terça-feira, 13.05.14

Natural de Brooklyn, Nova Iorque, o guitarrista e cantor Ray Weiss é um dos destaques da Fleeting Youth Records, um nome importante do cenário indie punk local e que integrou projetos tão importantes como os Butter the Children, Red Dwarf ou Medics. A banda Le Rug é a sua nova aposta e Press Start (The Collection), a nova coleção de canções que vai apresentar aos mundo, a dezassete de junho próximo, por intermédio da Fleeting Youth Records.
Disponíveis para download, Harold Camping e o seu lado b, Dead In A Hole, são os dois temas já divulgados de um disco que contém trinta e duas canções. O trabaho é um apanhado da dsicografia dos Le Rug e contém no alinhamento alguns dos destaques dos discos Sex Reduction Flower Party Rock, do EP Sticky Buns  e dos dois EPs que os Le Rugh já editaram este ano, Dead In A Hole e Cut Off Your Dick And Turn Into Slime. Com uma instrumentação vincada, assente numa linha de baixo encorpada e em guitarras carregadas de fuzz, Harold Camping é uma excelente amostra de um disco que faz uma resenha da carreira atribulada de um músico que passou por váriss bandas, lançou uma quantidade já apreciável de discos, mas é nos Le Rug que melhor se sente e mais se entrega enquanto músico e compositor. O álbum será analisado com detalhe por cá, logo após o lançamento. Confere... 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por stipe07 às 17:44

Total Warr - Is This It (The Strokes cover)

Terça-feira, 13.05.14

Total Warr Is This It

Soturna, intrigante e melancólica... assim se pode descrever a versão que a dupla francesa Total Warr acaba de revelar do clássico Is This It que dá o nome ao disco de estreia dos nova iorquinos The Strokes de Julian Casablancas. Assente num sintetizador bastante inspirado, a cover está disponível para download gratuíto. Confere...

 

We did a cover of “Is This It” one of our favorite songs from The Strokes.
We hope you’ll love it.
Download it, share it, delete it.

Bisous

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por stipe07 às 12:45






mais sobre mim

foto do autor


Parceria - Portal FB Headliner

HeadLiner

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Man On The Moon · Man On The Moon - Programa 423


Disco da semana 117#


Em escuta...


pesquisar

Pesquisar no Blog  

links

as minhas bandas

My Town

eu...

Outros Planetas...

Isto interessa-me...

Rádio

Na Escola

Free MP3 Downloads

Cinema

Editoras

Records Stream


calendário

Maio 2014

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.