Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Los Campesinos! - No Blues

Segunda-feira, 18.11.13

Depois de Hello Sadness, os galeses Los Campesinos! estão de regresso com No Blues, mais um compêndio sonoro lançado pela Wichita Recordings e relevante numa discografia bem sucedida e que também conta com Hold on Now, Youngster e We Are BeautifulWe Are Doomed, de 2008 e Romance Is Boring (2010). São trabalhos desenvolvidos sob uma arquitetura de versos e sons festivos e, neste novo registo, o coletivo reforça a sua própria capacidade de produzir composições puras encantadoras e delicadas e cuja sonoridade vai do épico ao melancólico, mas sempre com uma vincada e profunda delicadeza.


No Blues é o primeiro disco dos Los Campesinos! que não conta com a baixista Ellen Wadell, mas consegue ser tão intenso quanto qualquer outro álbum anterior e em apenas dez canções eles condensam toda a sonoridade típica da banda, como se estivesse na altura de fazer uma espécie de balanço e, em vez de um best off, a aposta recaísse na apresentação de novas canções que obedecem à habitual fórmula sonora dos Los Campesinos! Mesmo depois de sete anos de carreira, a banda ainda teve fôlego criativo para apresentar mais uma coleção de canções mantendo a fórmula e, no fundo, quem ainda não conhece esta banda, ao escutar No Blues poderá ficar com uma perceção muito clara do que poderá aguardar caso tenha vontade de descobrir e ouvir a restante discografia dos Los Campesinos!.

Em oposição às vibrantes linhas de baixo e às guitarras sintetizadas, essa tal fórmula deste grupo galês assenta no mergulho em sons adocicados e guiados por uma elevada instrumentalidade melancólica, de certo modo próximos de bandas como os Broken Social Scene ou mesmo os veteranos Belle and Sebastian. O colorido e melódico cenário musical sueco de bandas como os I’m From Barcelona e os Shout Out Louds também parecem ter aqui uma reprodução óbvia, onde sintetizadores, guitarras, batidas e uma escrita às vezes pouco óbvia e sem muito sentido dançam num jogo colorido de referências.

Apesar de No Blues alinhar, como já referi, com o restante cardápio sonoro do grupo, não deixa de haver alguns aspectos inéditos, nomeadamente uma maior luminosidade nas canções, algo bem presente logo no início com For Flotsam e What Death Leaves Behind, e na grandiosidade de Selling Rope (Swan Dive To Estuary), temas verdadeiramente acessíveis e fáceis de cantarolar, com uma forte componente radiofónica e com arranjos que nos prendem atá ao último acorde. Quero também destacar, no alinhamento, o sintetizador de Cemetery Gaits e a sensibilidade perene de  Avocado, Baby.

No Blues não é um conjunto de temas que abordem a tristeza ou a infelicidade através de sons puramente soturnos e obscuros. Algumas canções até podem parecer que puxam o registo para um universo mais amargurado, mas boa parte do álbum, principalmente nos seus momentos iniciais, é carregado de luz e vivacidade, o que resulta numa coleção de belos acertos sonoros e canções memoráveis.

Estamos, portanto, na presença de um disco que reflete uma assinalável maturidade de um grupo que aposta na coerência e que reforça a capacidade que os Los Campesinos! têm de ser criativos e criar mais um conjunto de canções com elevado bom gosto, mesmo que isso não acrescente nada de relevante à fórmula que os sustente. Há quem opte por inovar e mudar de rumo constantemente para conseguir obter reconhecimento e visibilidade e depois há aqueles que repetem a receita e, mesmo assim, conseguem ser sempre joviais e agradar aos ouvintes. Espero que aprecies a sugestão...

Los Campesinos! - No Blues

01. For Flotsam
02. What Death Leaves Behind
03. A Portrait Of The Trequartista As A Young Man
04. Cemetery Gaits
05. Glue Me
06. As Lucerne / The Low
07. Avocado, Baby
08. Let It Spill
09. The Time Before The Last Time
10. Selling Rope (Swan Dive To Estuary)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por stipe07 às 18:12

Total Slacker - Keep The Ships At Bay

Segunda-feira, 18.11.13

Mantemo-nos hoje por Brooklyn, Nova Iorque, agora para falar dos Total Slacker. Formados por Emily (baixo e voz), Zoe Brecher (bateria), Tucker Rountree (guitarra e voz) e David Tassy (guitarra), os Total Slacker continuam a divulgar novas canções que farão parte de Slip Away, um álbum que será editado a onze de fevereiro próximo pela Black Bell Records.

Depois de no início do mês terem mostrado Sometimes You Gotta Die, agora chegou a vez de Keep The Ships At Bay, mais uma canção assente num garage rock lo fi, visceral e vibrante e que mistura elemenos típicos do grunge com a crueza do punk rock. É um verdadeiro caldeirão de influências que nos transporta para uma espiral sonora onde a percurssão rápida, uma voz pujante e o fuzz das guitarras fazem destes Total Slacker um dos projetos mais interessantes de seguir no indie rock atual. Confere...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por stipe07 às 16:37

Syvia - Two Homes

Segunda-feira, 18.11.13


Os Syvia são uma banda de rock alternativo natural de Brookyn, Nova Iorque, um dos maiores nichos de novos grupos deste tipo de sonoridade. Liderados pelo norueguesa e americana Ruthy Mirsky, ao qual se juntaram Frank Banisi (guitarra), Sheldon Chow (baixo e sintetizador) e Richard Moyle Jr. (bateria), os Syvia acabam de divulgar e disponibilizar gratuitamente Two Homes, a canção que me chamou definitivamente a atenção para este projeto.

Os Syvia estrearam-se em 2011 com o EP Unloveable e começaram a dar nas vistas com Hideout e Snow Falling Sleep, duas canções com direito a airplay em algumas séries televisivas de nomeada, com destaque para a primeira em The Vampire Diaries. Depois disso têm participado em alguns festivais norte americanos (CMJ festivals e MEANY Fest, Sonicbids showcase, Northside Festival) e aberto para bandas como os Drop the Lime, Millionyoung, FM Belfast e Gemini Club.

Quanto à canção propriamente dita, Two Homes tem um memorável início, conduzido por um sintetizador e um baixo vibrantes, ao qual se junta uma percurssão verdadeiramente aditiva. Two Homes é um tema onde a luminosidade típica da pop do norte da Europa se junta com o punk sombrio de Nova Iorque. Já agora, Ruthy também faz parte de um projeto chamado The Familiar, onde faz dupla com Mads Martinsen. Confere...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por stipe07 às 12:21






mais sobre mim

foto do autor


Parceria - Portal FB Headliner

HeadLiner

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Man On The Moon · Man On The Moon - Programa 423


Disco da semana 117#


Em escuta...


pesquisar

Pesquisar no Blog  

links

as minhas bandas

My Town

eu...

Outros Planetas...

Isto interessa-me...

Rádio

Na Escola

Free MP3 Downloads

Cinema

Editoras

Records Stream


calendário

Novembro 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.