Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Jack White – Blunderbuss

Terça-feira, 29.05.12

Blunderbuss é o primeiro disco a solo de Jack White, músico de Detroit, agora a viver em Nashville, um homem que nasceu John Anthony Gillis. Este disco surge após a dissolução dos The White Stripes, um álbum nos The Raconteurs, uma incursão com Allison Mossarth, da dupla The Kills, no projeto paralelo The Dead Weather e o casamento de Jack com a modelo e cantora Karen Elson.

Proprietário da Third Man Records, foi através dessa etiqueta que lançou este álbum que tem a mão dele em praticamente todos os instrumentos que se ouvem, ou seja, como os verdadeiros génios, por estes dias Jack White já só se compromete com a sua inspiração.

Em Blunderbuss ele carrega a cruz da blues que se aprofunda das raízes do rock, mas também da folk (Love Interruption), do country (Blunderbuss), do rockabilly (I’m Shaking, cover de Rudy Toombs) e até mesmo de outras sonoridades mais orquestrais e requintadas(Hypocritical Kiss e Weep Themselves to Sleep). A extrema habilidade musical de White impressiona, não só nas guitarras, mas também no piano, instrumento que quando assume é sempre em busca de um quê de classicismo, como ficou bem patente em Trash Tongue Talker.

O disco é meticulosamente sequencial; Nas três primeiras canções assume as rédeas o rock, nas duas seguintes a folk e a country, depois baladas ao piano e nas quatro canções finais o rock dos anos cinquenta e sessenta. A última canção, Take Me With You, acaba por fazer a súmula de quase todos os elementos musicais explorados em Blunderbuss. Como a própria letra diz, essa poligamia de ritmos incrustou-se, definitivamente, na arte musical de Jack White.

Ouvir este músico acaba por ser sonoramente bastante cinematográfico, já que ele permite-nos avistar paisagens inéditas e conhecer personagens longes da vista e do que se vê. Se pensarmos que a sétima arte é um instrumento sensorial, as canções desse inquieto artista são para sentir, confundir e desorganizar tudo que já foi explicado antes, seguindo o rock cru e o embalo das suas letras. Há uma atmosfera intimista, começando pelo título do disco que remete para uma espingarda e a leveza das canções que transparecem a tranquilidade e a aparente fase despreocupada que Jack atravessa na sua vida.

Não é com Blunderbuss que o rock encontra definitivamente o seu salvador, mas talvez demonstre que Jack White é o intérprete mais habilidoso deste género musical na atualidade. Espero que aprecies a sugestão...

01. Missing Pieces
02. Sixteen Saltines
03. Freedom At 21
04. Love Interruption
05. Blunderbuss
06. Hypocritical Kiss
07. Weep Themselves To Sleep
08. I’m Shakin’
09. Trash Tongue Talker
10. Hip (Eponymous) Poor Boy
11. I Guess I Should Go to Sleep
12. On and On And On
13. Take Me with You When You Go

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por stipe07 às 13:15






mais sobre mim

foto do autor


Parceria - Portal FB Headliner

HeadLiner

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Man On The Moon · Man On The Moon - Programa 435


Disco da semana 125#


Em escuta...


pesquisar

Pesquisar no Blog  

links

as minhas bandas

My Town

eu...

Outros Planetas...

Isto interessa-me...

Rádio

Na Escola

Free MP3 Downloads

Cinema

Editoras

Records Stream



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.