Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Canon Blue - Rumspringa

Sexta-feira, 23.09.11

Daniel James aka Canon Blue é um músico multi instrumentista norte americano natural de Nashville e que costuma colaborar com os dinamarqueses Efterklang e as islandesas Amiina, duas bandas que acompanho com realtiva devoção. Iniciou a sua carreria a solo, ainda em nome próprio, em 2007 com o EP Halcyon (2007) e com Colonies, um álbum feito a meias com Chris Taylor dos Grizzly Bear e que mistura, segundo a crítica que li, uma sonoridade pop com alguns elementos da eletrónica. Ambos os discos foram editados pela etiqueta dinamarquesa Rumraket, detida pelos Efterklang. No passado dia dezasseis de agosto lançou Rumspringa, o seu primeiro disco como Canon Blue e que tenho andado a ouvir com bastante interesse, graças à sugestão do amigo Salaberth.

Proclamado como um álbum de pop orquestrada, Rumspringa tem a particularidade de cada música ser, no título, precedida pelo nome de uma cidade dos EUA, apesar de a sonoridade derivar, quanto a mim, de um cruzamento entre a pop folk nórdica e alguns elementos tropicais. Canon Blue parece ter procurado criar um ambiente luxuoso, com uma produção rica e dramática e sem esquecer o verão, a estação em que o hemisfério norte se encontra no momento em que gravou o álbum. Indian Summer, o primeiro single, é um exemplo pradigmático desta ideia; A música tem um começo tropical repleto de elementos da percurssão, mas não demora muito até aparecer o lado orquestral da história. Violinos, diferentes camadas de percussão, clarinetes, guitarras e até um coral de fundo são alguns dos elementos que fazem jus ao título da música e que se repetem pelo alinhamento fora, que combinados e alternados formam algumas das músicas mais bonitas e alegres que descobri neste verão.

O álbum beneficia imenso das colaborações que James tem mantido com as bandas que citei anteriormente. Mas este conjunto de canções, devido à sua complexidade instrumental, criam um ambiente sonoro de profundidade e complexidade sonora, que me recorda também imediatamente alguns dos melhores momentos de Sufjan Stevens; Para isso também contribui decisivamente a presença do baterista Bjorn Heeboll na condução da bateria e dos restantes elementos da percussão.

A gradual introdução dos instrumentos ao longo das canções ou do alinhamento de um disco,  é uma arte praticada por algumas bandas de renome, sendo os Radiohead e os Grizzly Bear dois exemplos que me saltam logo à memória e que percebe-se que James queira de alguma forma imitar. A primeira canção do álbum, Chicago (Chicago), começa com vocalizações suaves antes de adicionar vários tambores; Esta prática mantém-se ao longo do disco com diferentes posturas vocais, vários tipos detambores e linhas de sintetizadores incomuns a ressoar em cada música. Honeysuckle (Milwaukee) é dominada pela batida suave da bateria e pelo sintezador, indo ao encontro da mesma sonoridade pop da já citada  Indian Summer (Des Moines). A repetição contínua do refrão It’s gonna be the last day of our lives e a conjugação das vozes, faz com que a canção cresça até atingir um climax. Lulls (Memphis), uma música completamente instrumental, começa suavemente e depois vai sofrendo um acrescento contínuo de cordas quase até quase ao fim da canção. A Native (Madison) trouxe-me logo à memória o casamento entre as cordas e a parelha vocal masculina e feminina tão típica dos Arcade Fire e Velveteenager (Minneapolis B) impressionou-me pela complexidade da bateria, com uma sonoridade a recordar Bed Of Nails dos Wild Beasts.

Em suma, Rumspringa é feita por uma míriade de influências que derivam das bandas com quem Canon Blue colabora directamente, assim como do fato de ser um músico que viaja imenso, ouve muita música e passa bastante tempo na Europa. As músicas são quase todas uma espécie de sinfonia onde se explora quase ao limite as possibilidades de harmonização e, em termos de escrita, as possibilidades líricas, resultando numa espécie de efervescência sonora extravagante infinita e intrincada; Pessoalmente, ao ouvi-las foi como se estivesse a fazer o roaming de um mundo sonoro onde nunca estive antes.
Tal como eu, os fãs de paisagem sonoras densas e épicas sob harmonias pop, vão certamente gostar de ouvir Rumspringa. Já agora, Canon Blue anda na estrada a abrir os concertos da digressão americana dos Foster The People. Espero que aprecies a sugestão...

 01 - Chicago (Chicago)
02 - Autark (Nashville)
03 - Indian Summer (Des Moines) single
04 - Honeysuckle (Milwaukee)
05 - Velveteenager (Minneapolis B)
06 - Heavy Heart (Minneapolis A)
07 - Lulls (Memphis)
08 - Fading Colors (Bloomington)
09 - A Native (Madison)
10 - Bows & Arrows (Vegas)
11 - Andalusia (Davenport)

http://www.canonblue.com
http://www.facebook.com/pages/Canon-Blue/28455937447
http://twitter.com/#!/canonbluemusic
http://www.myspace.com/canonblue

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por stipe07 às 17:35


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.






mais sobre mim

foto do autor


Parceria - Portal FB Headliner

HeadLiner

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Man On The Moon · Man On The Moon - Programa 423


Disco da semana 117#


Em escuta...


pesquisar

Pesquisar no Blog  

links

as minhas bandas

My Town

eu...

Outros Planetas...

Isto interessa-me...

Rádio

Na Escola

Free MP3 Downloads

Cinema

Editoras

Records Stream


calendário

Setembro 2011

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.