Sábado, 10 de Janeiro de 2015

The Soft White Sixties – Get Right

Editado já em março deste ano, Get Right é o novo trabalho dos norte americanos The Soft White Sixties, uma banda que conquistou a crítica com South By Southwest, um trabalho que colocou este projeto debaixo dos holofotes.

A sonoridade hard rock, do rock setentista, do rock de garagem e do blues é a pedra de toque desta banda de São Francisco, que tem a voz mais parecida com a de Rod Stewart que conheço. Do single City Lights ao refrão efusivo de Up to The Light ou à toada festiva de Lemon Squeezer, Get Right começa por incubar um antro de cor e diversão, com cada uma das canções a ser preenchida com refrões carregados de vozes felizes, um alinhamento instrumental preciso e um completo desapego relativamente a tudo o que possa obstruir a capacidade que as guitarras sempre têm de participar ativamente no suporte de canções com luminosidade pop simples e direta, mesmo que tenham o índice de fuzz e distorção elevado, o que demonstra, desde logo, a capacidade destes The Soft White Sixties para misturar diferentes géneros e tendências, com elevado grau de criatividade e bom gosto.

O piano de Rubber Band e de Treat Me e, principalmente, o intimismo que enche de charme a toada blues da guitarra de Roll Away marca uma ligeira inflexão na toada do disco, com este último tema a conter um vagaroso mas caliente ritmo latino, muito bem suportado por uma percussão deliciosa, que faz da canção um instante sonoro bastante sensual.

A postura da voz que, como já referi, nos remete imediatamente para um famoso escocês, é um trunfo declarado destes The Soft White Sixties, que sabem como recriar um ambiente onde se dança, mas também se trocam olhares, havendo uma clara sensação de espontaneidade, como se Get Right tivesse sido composto para ser escutado por amigos e não para a massa homónima que uma banda que já agrega multidões em seu redor e agora suscita enorme expetativa sempre que respira, geralmente coleciona no seu cardápio de seguidores.

Até ao final, com o fuzz e as variações de ritmo de I Ain't Your Mother e You Are Gold, regressa aquele rock clássico tipicamente americano que nunca se refrata para inundar os corações mais carentes de uma luminosidade que transmite energia, faznedo-o de um modo particularmente explosivo, à medida que os instrumentos fluem naturalmente, sem se acomodarem ao ponto de se sufocarem entre si, naquilo a que tantas vezes se chama o som de banda.

Longe de se abrigarem apenas à sombra de canções melódicas convencionais, estes The Soft White Sixties conseguem com estas dez canções reforçar o brilho raro que, pelos vistos, tem acompanhado a sua carreira artística. Get Right comprova a entrada em grande estilo dos mesmos na primeira divisão do campeonato indie e alternativo. Espero que aprecies a sugestão...

The Soft White Sixties - Get Right.

01. City Lights

02. Up To The Light
03. Lemon Squeezer
04. Don’t Lie To Me
05. Rubber Band
06. Roll Away
07. Treat Me
08. I Ain’t Your Mother
09. You Are Gold
10. Tilt-A-Whirl
11. Knock It Loose (Bonus Track)
12. It’s You (Bonus Track)


autor stipe07 às 15:20
link do post | comenta / bad talk | The Best Of... Man On The Moon...
|

eu...


more about...

Follow me...

. 51 seguidores

Powered by...

stipe07

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parceria - Portal FB Headliner

Facebook

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Em escuta...

Twitter

Twitter

Blogs Portugal

Bloglovin

Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


posts recentes

Nick Garrie - The Moon An...

MGMT - When You Die

Moby – Like A Motherless ...

Sufjan Stevens – Tonya Ha...

Zed Penguim - Wandering

U2 - Songs Of Experience

Django Django – In Your B...

Teleman – Fünf EP

Jaguwar - Crystal

Björk – Utopia

Noel Gallagher’s High Fly...

Viva Brother – II

Fugly - Millenial Shit

Man On The Moon faz hoje ...

Fujiya And Miyagi – Diffe...

Tame Impala – Currents B-...

Björk – Blissing Me

The Wombats – Lemon To A ...

Walk The Moon – What If N...

Plastic Flowers – Absent ...

X-Files

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

todas as tags

take a look...

I Love...

Os melhores discos de 201...

Astronauts - Civil Engine...

SAPO Blogs

subscrever feeds