Sábado, 30 de Junho de 2012

The Smashing Pumpkins - Oceania

Billy Corgan não desiste e há que dar mérito, antes de mais, à sua persistência, não só no projeto The Smashing Pumpkins, como na sonoridade das canções que fazem parte do alinhamento dos últimos álbuns desta banda, independentemente dos músicos que a compôem. Oceania, disco lançado no passado dia pela EMI, é mais um capítulo desta saga que se tornou penosa depois de Adore  e Machina e da saída da banda de James Iha, quanto a mim um elemento fulcral na extraordinária sonoridade que compôs Siamese Dream e Mellon Collie and the Infinite Sadness, dois discos que são para mim uma referência incontornável da música que ouvi apaixonadamente na década de noventa.

Ainda me recordo do teor emocionado que tomou conta de boa parte dos textos que exaltaram o retorno dos The Smashing Pumpkins em 2005. Depois de uma nada inteligente aventura a solo, que aproximou o músico de referências eletrónicas e do fiasco Zwan, Corgan estava de volta, acompanhado pelo baterista Jimmy Chamberlain e a apregoar aos quatro ventos uma mente cheia de criatividade. Zeitgeist chega em julho de 2007 e divide opiniões, havendo ainda quem ache possível que Billy consiga prendar-nos com algo de extraordinário, percepção que o músico de Illinois tratou de contrariar com o passar dos últimos anos e extinguir por completo com a chegada deste Oceania.

A sonoridade de Oceania pouco se altera relativamente ao que foi testado nos últimos três anos com o imenso e incompleto Teargarden by Kaleidyscope, disco inspirado no universo das cartas do tarot e com quarenta e quatro canções. O novo disco aponta ao rock progressivo, ao pós punk e ao heavy metal, padrões instrumentais e líricos estabelecidos há mais de quinze anos no clássico Mellon Collie and the Infinite Sadness e que há décadas acompanham o grupo, tentando, ao mesmo tempo, encaixar panorama musical atual. Parece que Crogan pretende começar do zero e atrair ouvintes que desconhecem a sua obra prévia, até porque algumas canções tresandam a versões de antigos sucessos, nmeadamente a  reformulação de Beautiful em Pinwheels, passando pela transformação acelerada do sucesso Rocket em The Chimera.

Na mente de Corgan tudo isto deve revelar-se sedutor, explosivo e envolvente, mas torna-se um pouco penoso assitir a este afundar numa instrumentalização que pouco ou nada remete para os bons momentos alcançados por ele na década de noventa. Comparar Oceania com Mellon Collie and the Infinite Sadness, Gish e Siamese Dream é um erro absurdo e este álbum é a mais sincera constatação de que o músico precisa de deixar o mundo imaginário em que vive e perceber que, tendo ainda muito para dar ao rock, terá de o fazer noutros moldes e com outras fórmulas sonoras. Oceania só comprova que alguns artistas e figuras típicas da década de noventa nunca deveriam ter saído de lá. Espero que aprecies a sugestão...

01. Quasar
02. Panopticon
03. The Celestials
04. Violet Rays
05. My Love Is Winter
06. One Diamond, One Heart
07. Pinwheels
08. Oceania
09. Pale Horse
10. The Chimera
11. Glissandra
12. Inkless
13. Wildflower


autor stipe07 às 12:49
link do post | comenta / bad talk | The Best Of Man On The Moon...
|
5 comentários:
De Laura a 6 de Julho de 2012 às 19:33
De facto, também já ouvi o álbum e partilho da tua opinião. O Billy tinha dito que esta era a última tentativa de ser bem sucedido com a banda, mas não me parece que o tenha sido...


De Emanuel a 9 de Julho de 2012 às 15:14
Eu não posso concordar totalmente com a opinião acerca do álbum Oceania ou do trabalho que o Sr. Billy Corgan tem tentado fazer pelos The Smashing Pumpkins como pelo som alternativo.
O álbum Oceania, não é de facto um Siamise Dream ou a obra-prima Mellon Collie and the Infinite Sadness e penso que a ideia não seria essa, mas criar algo diferente mas que conseguisse unir os fans e trazer ainda mais.
A obra não deixa de ser um bom trabalho e é de realçar o esforço que o homem tem na sua luta pela música.
Neste momento Billy Corgan é o único na banda, não por vontade própria mas porque o deixaram só, e por isso é criticado. Na altura que colocou fim ao The Smashing Pumpkins foi muito criticado e ninguém percebeu porquê, agora é criticado por voltar e fazer música com o mesmo nome, e eu pergunto porquê. Se está a criar musica, é óbvio que o tempo é diferente, tudo mudou, agora estamos na era IPODS e afins, na qual só escolhemos uma musica de cada álbum para ouvir e o resto deita-se fora. Nos anos 90, nós eramos praticamente obrigados a ouvir toda a velha k7 e isso fazia com que nós conseguíssemos ter uma opinião mais formada acerca de cada álbum, acho que o grande problema das bandas de 90 e das futuras bandas é mesmo esse, agora a musica é descartável e existem bandas a surgir todos os dias e a acabar também e isso é que eu não aceito, bandas que fazem um álbum, têm 2 ou 3 singles e depois nunca mais se ouve falar delas.
Faz-me confusão o porquê de tantas críticas aos The Smashing Pumpkins e ao Billy Corgan, porque o som está lám as ideias estão e o criador também, sim, porque o Sr. Billy Corgan sempre foi o mentor da banda, também James Ilha o ajudava muito, mas o próprio quis parar. Em relação aos projectos a solo, não eram os melhores mas também não eram as piores coisas do mundo como nós podemos ver por ai todos os dias. Eu estive tanto no concerto dos Zwan no Coliseu e no projecto mais a solo do Billy e os concertos foram bastante bons, devo dizer que no dos Zwan até foi um bom concerto com a casa praticamente cheia.
Para finalizar, gosto do álbum Oceania, tem boas malhas como também umas um pouco mais calmas como caracteriza os The Smashing Pumpkins , de realçar a Quasar, Pale Horse e Oceania.


De stipe07 a 10 de Julho de 2012 às 10:01
Obrigado pelo teu comentário Emanuel. subscrevo algumas partes do mesmo e confesso que o meu desapontamento deve-se à paixão que nutri pelos the smashing Pumpkins nos seus tempos aúreos e por me ter sabio tão a pouco aquilo que produziram na altura. E este "sabido a pouco" deve-se exatamente ao facto de eles terem potencial para terem feito mais tendo em conta auqela fórmula. Sabemos que outros fatores externos à música (ou não), não deixaram que a banda tivesse um percurso normal e, por isso, Billy acabou por ficar só.
Também admiro o esforço dele em continuar, no entanto, o meu comentário acerca do disco teve em conta, acima de tudo, a forma como ele me soou e aí, já se mete pelo meio o gosto pessoal de cada um. E ainda bem que, dentro desse parâmetro, não gostamos todos do mesmo, raramente algo soa igual para duas pessoas e a mesma canção pode provocar diferentes sensações nos ouvintes... Abraço e espero que apareças por cá mais vezes! :)


De Emanuel a 10 de Julho de 2012 às 18:52
Hey. Sem duvida que os gostos não se discutem, e o Oceania é um album que não se ouve às primeiras assim como o Zeitgeist, mas este ultimo está mais bem produzido e com melhores arranjos. Ao ouvir mais e vais ver que começas a gostar, claro que falta aquela faisca e também te confesso que vai ser o ultimo álbum que ele vai lançar e penso que depois acaba com a banda e se calhar deixa mesmo a musica, vamos ver o que acontece.


De stipe07 a 11 de Julho de 2012 às 13:06
Espero bem que ele continue a fazer música... Abraço!


Conferiste? Agora Comenta...

eu...

Takes MOM - Everything Is New TV (EP7 - Low Vertical)

Facebook

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Abril 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12


20
23
24
25
26

27
28
29
30


posts recentes

Bootstraps – Bootstraps

Damon Albarn – Heavy Seas...

The Flaming Lips – 7 Skie...

Coldplay - Midnight

Pixies - Women Of War

Tame Impala - Live Versio...

Underground Lovers – Week...

La Sera - Running Wild

Protomartyr - Under Color...

Echo And The Bunnymen - L...

The New Division – Togeth...

Francis International Air...

Twin Shadow - To The Top

Dead Lef Echo - true.deep...

Sigur Rós - The Rains of ...

X-Files

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

todas as tags

take a look...

Procura...

 

Visitors (since 31.05.12)

blogs SAPO

subscrever feeds