Terça-feira, 11 de Outubro de 2011

The New Division - Shadows

Os The New Division são uma banda da Califórnia, formada em 2005 por John Kunkel, ao qual se juntou mais tarde Michael JanzMark Michalski e Brock Woolsey e que anda a ser sondada pelo meu radar sonoro desde maio, data em que deram a conhecer as músicas Walk in the Dark e Starfield, presentes num EP chamado Devotion. Agora, no passado dia 27 de setembro e através da Division 87, lançaram Shadows, o álbum de estreia que tenho andado a ouvir e que mostra do melhor que tem andado a ser feito dentro da onda sonora retro que procura ressuscitar a eletrónica dos anos oitenta e cruzá-la com sonoridades mais rock. Imagine-se um caldeirão onde se mistura CureJoy Divison, New Order, Chameleons e Orchestral Manoeuvres in the Dark; Os The New Division sabem a essa mistura aditiva que já foi batizada de new wave pós punk e ainda por cima com a curiosidade de terem no seu nome as palavras New (New Order) e Division (Joy Division).

Opium, a canção de abertura, dá desde logo o mote ao disco e convida-te a dançar. Shallow Play é fantástica, devido à sua guitarra vibrante e uma voz balizada por uma batida estonteante, a fazer relembrar os melhores momentos dos Chameleons, apenas com uma produção melhorada. Camouflage soa a Depeche Mode por todos os poros, ujma música onde praticamente todos os instrumentos têm os seus momentos de destaque e somente a voz de John e a bateria mantêm-se constantes e Sense é uma música perfeita para as pistas de dança e acredito que poderá dar fantásticas remisturas.

Violent tem uma sonoridade bastante atmosférica que te envolve e poderá contribuir para que atingas um certo estado de alienação, mas dançável, algo que muito poucas canções conseguem fazer. Munich é uma grande canção que pouco fica a dever à homónima dos The Editors e True Lies, o primeiro single retirado do álbum, é explosiva, com os teclados e a bateria a fazerem lembrar a sonoridade assertiva do pêndulo de um relógio. 

LA Noire é outro pequeno momento experimental soturno e que introduz o núcleo final do disco, constituido por quatro grandes canções e que formam uma sequência perfeita; Special, Memento, Shadows II e a aditiva Saturday Night que sintetiza na perfeição o espírito deste disco, com músicas atmosféricas, outras mais dançantes e o ponto nevrálgico nos anos oitenta.

Não é novidade nenhuma dizer-se que a música enquanto forma de arte é um fenómeno onde quem inova sonoramente pode encontrar aí o caminho para o sucesso. No entanto, penso que esta manifestação artística também é um fenómeno cíclico e que as bandas e artistas que buscam elementos retro de outras décadas para recriar um estilo próprio também poderão encontrar a chave para o sucesso. são bem comuns nos dias de hoje. Os The New Division escolheram a inesquecível década da ascensão da música eletrónica e parece-me, por esta estreia, capazes de o fazer como poucos. Espero que apreciem a sugestão...

1. Opium
2. Shallow Play
3. Sense
4. Shadows
5. Violent
6. Soft
7. Munich
8. True Lies
9. LA Noire
10. Hearts for Sale
11. Special
12. Memento
13. Shadows II
14. Saturday Night


autor stipe07 às 19:22
link do post | comenta / bad talk | The Best Of... Man On The Moon...
|

eu...

Powered by...

stipe07

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parceria - Portal FB Headliner

Facebook

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Em escuta...

Twitter

Twitter

Blogs Portugal

Bloglovin

Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

12
13
14

17
19
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

Alvvays - Antisocialites

TIPO - Jugoslávia

Work Drugs – Flaunt The I...

The Fresh And Onlys – Wol...

Chad VanGaalen – Light In...

The National - Sleep Well...

Noiserv - Caixa de música...

The Mynabirds - Be Here N...

King Gizzard and the Liza...

Andrew Belle – Dive Deep

Mano a Mano - Super Mario

LCD Soundsystem – America...

Purity Ring – Asido

Liars – TFCF

We Invented Paris – Catas...

Beck – Dear Life

The War On Drugs – A Deep...

The Veldt - The Shocking ...

Swine Tax - Brittle

Everything Everything - A...

X-Files

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

todas as tags

take a look...

I Love...

Os melhores discos de 201...

Astronauts - Civil Engine...

blogs SAPO

subscrever feeds