Sexta-feira, 29 de Abril de 2011

Architecture In Helsinki - Moment Bends

Quatro anos é uma longa espera. E foi este o tempo que passou desde o lançamento de Places Like This, último álbum da pouco convencional banda de indie pop Architecture in Helsinki (AIH) e uma das minhas preferidas. Nesse período, os australianos apenas lançaram o EP That Beep (2008) e um vídeo para a mesma música. Mas a espera acabou e o novo álbum do grupo, que recebe o nome de Moment Bends e possui uma capa bem interessante, chegou no passado dia oito de Abril para alegrar todos aqueles que como eu já sentiam falta dos bips e das batidas do AIH.

E como o prometido é devido, vou falar dele. Além da já mencionada That Beep, que estará no novo álbum, o primeiro single, Contact High, foi disponibilizado para download pela Pitchfork e tem tudo o que se espera de uma música dos AIH.

Quando no início da última década algumas bandas alicercadas na pop, mas com orquestrações alternativas, começaram a receber bastante atenção dos média especializados, fazer e ouvir música recheada de nuances detalhadas e sons coloridos parecia ser uma excelente proposta para a música naquele momento. A mim, um entusiasta de novas sonoridades e do experimentalismo, confesso que me seduziu! Assim que naquela altura ouvi algumas bandas que trilhavam este caminho, rapidamente senti-me atraído por esta banda australiana e o seu disco In Case We Die. Esse álbum tornou-se logo no principal parceiro de um Electro-Shock Blues dos Eels já quase riscado, um dos discos que mais ouvi na vida, do In The Aeroplane Over The Sea dos Neutral Milk Hotel e o Mutations do Beck. O disco seguinte dos AIHPlaces Like This, desiludiu-me profundamente, mas finalmente voltaram com este Moment Bends.

Places Like This não era um álbum fraco! O problema é que as expetativas que criei com In Case We Die não foram cobertas com o álbum. E na minha primeira audição de Moment Bends, a primeira sensação que tive no imediato, quase inconscientemente, foi que a banda hoje formada por Cameron Bird, Gus Franklin, Jamie Mildren, Sam Perry e Kellie Sutherland, mantendo a base pop, voltou a aproximar-se da música eletrónica, fazendo uma espécie de refresh no seu som e tornando-o mais coerente e dinâmico.

Se nos primeiros discos dos australianos as comparações com bandas como Of Montreal e The Unicorns eram inevitáveis, agora é possível afirmar que o grupo encontrou coerência na sua estrutura sonora e está pronta a ser ela própria uma influência para outras bandas. A abertura levemente entristecida com Desert Island esconde na verdade uma sequência de músicas divertidas e com minuciosos detalhes. Tanto Escapee como Contact High aproximam o quinteto de uma linguagem sonora com aproximação a elementos quase futurísticos, como se percebe também em YR Go To e Denial Style, que aproximam o grupo de uma estética mais synthpop. Assim, as boas sequências de sintetizadores, a tematização alegre e alguns leves toques de psicadelismo fazem com que o trabalho cresça e cada nova canção, dividem o álbum em vários momentos e evitam que os melhores se concentrem quer na abertura, quer no término do disco. É um disco sem ondas, homogéneo e lineado por alto. Em Moment Bends a banda orienta-se de uma forma menos orquestrada, quase ausente de guitarras e de certa forma bem mais dançante e espontânea, bastante próxima de um clima festivo e mais urbano.

Moment Bends pode ser  o motivo de um divórcio definitivo da banda com alguns fãs ou então, como acontece no meu caso, a consolidação de um casamento que andava tremido pelo desgaste do tempo e pela ausência recente de pontos altos. Evoluir é necessário e tal é feito por este grupo australiano, de maneira coerente, ao longo deste disco, ou seja, Moment Bends faz uso do mesmo tipo de som dos antigos trabalhos da banda, mas faz toda a diferença terem mudado a forma como são destilados alguns dos elementos sonoros que caraterizam os AIH. Quem ganha sem dúvida somos nós, os que nos vamos manter fiéis, porque agora temos mais quarenta e alguns minutos uma sequência bem proveitosa de sons desta banda magnífica.

1. Desert Island
2. Escapee
3. Contact High
4. W.O.W
5. Yr Go To
6. Sleep Talkin'
7. I Know Deep Down
8. That Beep
9. Denial Style
10. Everything's Blue
11. B4 3D


autor stipe07 às 21:47
link do post | The Best Of... Man On The Moon...
|
Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


eu...


more about...

Follow me...

. 51 seguidores

Powered by...

stipe07

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parceria - Portal FB Headliner

Facebook

Man On The Moon - Paivense FM (99.5)

Em escuta...

Twitter

Twitter

Blogs Portugal

Bloglovin

Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13

18
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

Paperhaus – Are These The...

MGMT – Little Dark Age

Noiserv - Dezoito e ediçã...

Beck - Colors

Django Django – Tic Tac T...

Wild Beasts – Punk Drunk ...

Courtney Barnett And Kurt...

Noel Gallagher’s High Fly...

Fink - Resurgam

Black Rebel Motorcycle Cl...

The Clientele - Music For...

Liam Gallagher – As You W...

Cinnamon Tapes - Nabia

Time For T - Hoping Somet...

The Horrors - V

Deerhoof - Mountain Moves

Tomara - Favourite Ghost

Dear Telephone - Slit

Oh Sees - Orc

Alvvays - Antisocialites

X-Files

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

tags

todas as tags

take a look...

I Love...

Os melhores discos de 201...

Astronauts - Civil Engine...

SAPO Blogs

subscrever feeds